Jayme Miranda – Luiz Nogueira

Do que lembro, cheguei à Penitenciária Estadual, vizinha ao Quartel da Polícia Militar, no dia 04 de abril de 1964, por volta das 14.30 horas. Recebido pelo Coronel Argolo, alto, tipo atleta, um tanto gago, fui, por conta de possuir nível universitário completo, já formado em medicina, encaminhado para amplo salão, com vistas para o centro de Maceió, reservado ao Estado Maior da Polícia, quando detinha ou simplesmente respondiam a processos oficiais da Polícia e mais das vezes autoridades civis.

Continue reading