Poema AUTENTICIDADE

O que é ser autêntico?
É ser coerente
Com o trabalho
Com os ideais mais belos
Com a missão
Os compromissos e as responsabilidades assumidas
Pelo triunfo das belezas da vida!
Em que consistem?
No amor a vida, ao trabalho
Às lutas do povo
Aos sublimes ideais
Das liberdades verdadeiras
Dos emancipados nacionais, sociais, populares
Pela paz, pelo futuro recriador da humanidade nova
E todas as formas do amor
Desde a fraternidade, a igualdade
E ao amor entre um homem e mulher
Pais, mães e filhos,
Parentes, vizinhos e amigos
Da nova era
No reino dos que trabalhem
Quem pense e quem pratica assim
É autêntico!

 Jayme Miranda

Em memória, Jayme

Em memória, Jayme
Ah! Se já se sabe,
Se teu corpo está no mar,
Se fizeram do oceano tua sepultura

É tudo imenso:
Imensurável a brutalidade
Imensurável o desvairio dos teus algozes
Imensa a tua cova
Imensa como era tua estatura

Se teu corpo está no mar
Se já se sabe onde é o teu jazigo

Onda após onda,
Corrente após correte, decerto
O mar há de te devolver à tua gente

Num dia em que a tempestade der
O Atlântico enfurecido te conduzirá nas suas vagas
E te devolverá ao teu povo
Naquelas praias tropicais da terra do Bráulio Cavalcanti

Ouçam operários de Fernão Velho e de Rio Largo
Ouçam camponeses da utinga
Ouçam estudantes da UFAL
Ouçam todos, povo simples de Ponta Grossa, de Bebedouro

Estivadores do Jaraguá!
Haverão de ter mil mares
Serão poucos para a sepultura de mil Jaymes.
No mar… logo no mar…
Nunca estancarão o mar!
Eliseu Elisei